Censos: tudo o que precisa saber

Existem métodos de recolha de dados que se concentram na aquisição de algum tipo específico de informação, tais como os censos. Estes são, nada mais nada menos que recenseamentos, para recolher dados de toda a população.

Neste artigo irá descobrir como os pode (e deve) utilizar na sua próxima investigação, trabalho académico ou contexto profissional.

O que é um censo?

Um censo é um tipo de método de recolha de dados que envolve toda a população; um censo não utiliza um método de amostra. Como todos os membros participam no censo, os dados recolhidos são exatos e detalhados.

Um censo recolhe informação de cada entidade de uma população. Como resultado, os dados são precisamente representativos de toda a população e podem estar disponíveis dados detalhados mesmo em áreas pequenas.

Uma grande diferença entre inquéritos e censos são os métodos de recolha de dados. No censo este é um processo dispendioso e demorado, visto que envolve todo o público a ser inquirido, pelo que tende a demorar muito mais tempo a realizar e é, portanto, realizado com menos frequência.

É por esta razão que os censos são geralmente realizados por governos de países de modo a se obter um conhecimento profundo das características da população nacional, e este tipo de estudos são geralmente feitos com vários anos de intervalo. No caso de Portugal é a cada 10 anos.

O contexto dos censos na sociedade

No início, o principal objetivo do recenseamento da população era satisfazer as necessidades do Estado como obrigações militares, fiscais e laborais dos habitantes de um país. 

Mais tarde, quando o sufrágio generalizou-se, os resultados do recenseamento, em termos do número de habitantes, começaram a ser utilizados para determinar a representação eleitoral. Subsequentemente, o seu âmbito tem mudado ao ponto de hoje, como dizem as Nações Unidas, “o censo da população é uma operação estatística muito útil em todos os países. 

É a principal fonte de estatísticas básicas da população necessárias para fins governamentais e para muitos aspectos do planeamento económico e social. Muitas outras aplicações poderiam ser apontadas, incluindo servir de quadro de referência para a preparação de inquéritos por amostragem, que são tão úteis.

Formas de realizar os censos

Fundamentalmente existem três métodos ou procedimentos mais clássicos para recolha de dados junto das pessoas, para além da aplicação das novas tecnologias (Internet, por ex.):

  • Recolha por via postal
  • Recolha por entrevista (direta, por telefone)
  • Entrega/recolha de questionários

Recolha Via Postal

A recolha por via postal implica a existência de ficheiro completo de endereços dos alojamentos de modo a se processar o envio de questionários a toda, ou a parte da população, e a controlar os resultados das respostas.

Recolha por Entrevista

A recolha por entrevista direta necessita de elevado número de recenseadores e tempo de execução para se proceder à entrevista de todas as pessoas, pressupondo custos bastante mais pesados; em contrapartida, apresenta uma qualidade dos dados elevada o que, em parte, é igualmente válido para a metodologia de entrega/recolha de questionários.

Entrega/recolha de questionários

No método de entrega/recolha de questionários à população, um conjunto de recenseadores, recrutados localmente, vão de porta em porta entregar os questionários e instruções para preenchimento, passando mais tarde para os recolher após preenchidos pelas pessoas. 

Trata-se de uma metodologia que não se aplica de forma tão pura como a descrita, pois, em muitas situações o recenseador tem de apoiar na resposta, ou preencher integralmente, quando os respondentes não o conseguem fazer.

Em Portugal, o método adotado nas operações censitárias mais recentes, é o de entrega/recolha, considerado o mais adequado para a realidade nacional. Sendo que já é possível realizar os censos no portal web especifico para o seu efeito.

Como são trabalhados no terreno?

Os trabalhos de recolha de dados são assim executados pelos recenseadores. A cada um deles é atribuída uma área geográfica bem definida e delimitada cartograficamente, designada por Secção estatística, contendo em média cerca de 300 alojamentos.

Cada unidade estatística (indivíduo, família, alojamento e edifício), é contada, tendo por referência o local onde se encontra ou se localiza no momento censitário (dia específico marcado); os dados recolhidos, em relação a cada caraterística, referem-se igualmente ao mesmo momento censitário.

Características dos Censos

Um bom, censos da população deve satisfazer quatro requisitos básicos: a) enumeração individual, b) universalidade, c) simultaneidade e d) periodicidade. No fundo, uma compilação de características que mencionámos até então.

A. Enumeração individual

A ideia básica subjacente a um censo é enumerar cada indivíduo separadamente com as suas características correspondentes que também devem ser anotadas separadamente. O importante é cobrir todos os indivíduos como objeto de enumeração, mas isto não impede que, ao utilizar a técnica de amostragem combinada com a técnica do censo, algumas perguntas específicas sejam feitas apenas às pessoas incluídas na amostra.

B. Universalidade

O censo deve cobrir todo o país ou uma parte bem definida do país (região, departamento, município, etc.) se apenas for desejada uma cobertura parcial. O recenseamento da população deve incluir todas as pessoas presentes ou residentes no território delimitado acima, segundo o tipo de recenseamento.

C. Simultaneidade

Cada pessoa deve ser enumerada, o mais próximo possível, de um ponto bem definido no tempo (por exemplo, meia-noite antes do dia do recenseamento) para que o recenseamento seja uma reflexão precisa, na medida do possível, da população num dado momento. Diz-se frequentemente que o recenseamento da população é como um instantâneo da população naquele instante.

D. Periodicidade

Desde o início do recenseamento sistemático, pensou-se que os recenseamentos deveriam ser feitos com uma certa periodicidade, de modo a facilitar a comparação das informações obtidas. 

Uma das variáveis básicas utilizadas no censo é a idade, e é habitual para a maioria das tabulações cruzadas utilizar esta variável para desagregar a população em grupos de cinco por cinco anos, ou dez por dez. Em Portugal, o último foi em 2021.

A realização de recenseamentos a cada dez anos, como tem sido recomendado, facilita a comparação de um recenseamento para outro por grupo etário, bem como diminui a influência perturbadora da atual comunicação da idade em números que terminam em zero e cinco. 

Com efeito, esperamos que este artigo lhe tenha deixado claro que os censos são importantes. Na QuestionPro temos as ferramentas certas para realizar este tipo de estudo, pode experimentar a nossa plataforma gratuitamente criando agora uma conta, não se vai arrepender!

 


Para criar inquéritos profissionais e aproveitar as nossas ferramentas de controlo de qualidade e agilizar o seu processo de trabalho utilize uma plataforma online de inquéritos profissional.

Convidamo-lo a conhecer a QuestionPro, uma solução completa em inquéritos e estudos mercado.

Pedir demonstração