O líder tóxico e seu efeito no ambiente de trabalho

O líder tóxico é uma pessoa que está em um papel de liderança em uma empresa e atua em desacordo com as premissas de um bom lider. 

Há alguns anos os pesquisadores psicossociais vêm analisando as características de uma pessoa cuja atitude é nociva. E que seu comportamento diário é procurar, ver e ressaltar os detalhes negativos; por menores que sejam nas atividades em que atuam.

Quando esse indivíduo tem um cargo com supordinados se converte em um Líder Tóxico. Além disso, dedicam-se por longas horas a reclamar de tudo o que acontece dentro do ambiente de trabalho.   

Segundo o Instituto Panamericano de Alta Direção de Empresas, conhecido também por sua sigla IPADAE,  foi constatado que entre 5% e 10% dos empregados de uma empresa têm este tipo de comportamento.

Por esse motivo, vale a pena indagar: o que aconteceria se uma dessas pessoas ocupasse uma posição de liderança na sua empresa? Qual seria o efeito para o ambiente de uma empresa se o diretor fosse um líder tóxico?

Evite ser um líder tóxico para melhorar o ambiente de trabalho

Em tempos de incertezas e dificuldades, uma organização ou sociedade pode se deparar com um líder esgotado; e sem capacidade de conduzi-la em um momento de crise. 

Nesse contexto, os acionistas ou os diretores consideram necessária a substituição das pessoas que estão a frente das tarefas que envolvem responsabilidades e atividades de gestão estratégica.

No entanto, os anos de burocracia que têm sustentado um status quo de comodismo e conforto, aliado a programas de formação e estilos de “gerência que perpetuam as aptidões administrativas, ao invés das aptidões de liderança” (conger j. 1999); Levam os acionistas ao paradoxo de buscar um líder que os conduza diretamente à crise. 

Essa falta de visão em entender que os mercados estão se modificando e que o mundo está dando a luz à uma nova era os fazem decidir pelo líder menos pior. 

Como são os Líderes Tóxicos?

Quando são escolhidos para assumir a direção de qualquer companhia, seja uma empresa digital, fábrica, empresa pública, prefeitura, superintendência ou um governo; de acordo com o país em que se localize o leitor, esses líderes tóxicos deixam transparecer sua verdadeira personalidade. Vejamos algumas características desse perfil:

Manipulam objetivos

Substituem os objetivos da empresa por seus objetivos pessoais, projetam em seus subordinados suas próprias necessidades e crenças.

Onipotentes

São onipotentes e donos de uma sabedoria infinita. Essas pessoas podem acumular conhecimento teóricos e alguns de ordem prática sobre como conduzir a empresa, sem que nunca antes os tenham colocado em prática na execução ou implementação da companhia.

Ao ocupar uma posição de liderança exibem, então, grandes dotes de oradores e se expressam com conceitos teóricos que não possuem nenhuma ou quase nenhuma aplicação à realidade. Mas, o mais grave é o fato de que não aceitam recomendações e sugestões que não coincidam com as suas.

Vingativos e rancorosos

Uma das primeiras ações destes líderes tóxicos é utilizar o poder que acabam de receber para vingarem-se de todas aquelas pessoas que, segundo o seu julgamento, tenham o prejudicado ao longo dos seus anos de trabalho.

O Líder tóxico reclama

Queixam-se de tudo: quando os acionistas percebem que esses líderes são incompetentes, que suas decisões são insensatas, eles se justificam com queixas sobre o trabalho dos outros, esquivando-se de suas atividades e compromissos sob o argumento de que os “outros” são os responsáveis por sua baixa produtividade. 

Autoritários

Na medida em que sua incapacidade se mostra evidente, o líder tóxico busca manter o controle a todo custo. Demitindo todos aqueles que emitem uma opinião ou discordem de suas magníficas ideias. “Uma vez que os pensamentos perturbadores, como a indignação absoluta, se tornam automáticos, são auto confirmados” (Goleman, D. 1995).

Disso resulta um grande número de subordinados que acatam sem questionamento as ordens que lhes são dadas; e que estão mais inclinados a bajularem e a satisfazerem o líder tóxico do que a realizarem seus trabalhos. Isso leva a um esgotamento dos recursos da empresa e, por consequência, ao fracasso da organização.

Veja também: 5 funções de liderança e gerenciamento

O que fazer para evitar que sua empresa caia nas mãos deste tipo de líder tóxico?

Deve-se impedir que pessoas com este perfil alcancem posições de liderança ou de gestão estratégica. O que fazer? Quais medidas podem ser implementadas para detectá-los?

Se sua empresa possui um grande número de funcionários, o que dificulta a elaboração de entrevistas de emprego personalizadas, uma excelente estratégia é optar pela realização de uma pesquisa online na qual seja aplicado diferentes tipos de testes de personalidade; ou qualquer outro instrumento que lhe permita medir as habilidades emocionais dos possíveis candidatos a líder.

Assim como empregar este método para avaliar o histórico de comportamento dos funcionários, sua credibilidade como líder e como pessoa.

Permita-se, além disso, descobrir pessoas com o perfil de Líder Coach.

Use a QuestionPro na transformação demandada pela atual conjuntura do mundo dos negócios e obtenha um eficiente ambiente laboral.

Comunicação do líder com sua equipe


Sobre o autor:

Coach Norberto A. Peña Q.
Nascido em Caracas, Venezuela, Norberto fez mestrado em Ciências Gerenciais com menção em Finanças na Universidade Gran Mariscal de Ayacucho UGMA.

Dados de contato:
Twitter: @maturincoaching
Instagram: Maturincoaching
Email: Norbertopq1@hotmail.com

Para agilizar seu processo de trabalho e para que tenha recursos que enriquecem seu projeto de pesquisa, utilize uma plataforma online de pesquisa, te convido a conhecer a Questionpro, uma solução completa em pesquisa e inteligência de mercado. 

Siga-nos nas redes sociais e receba sempre dicas e novidades: Facebook, Twitter, Linkedin, Instagram